Imprimir esta página
Quinta, 09 Agosto 2018 10:00

A História do Aço na Construção Civil

Escrito por
Avalie este item
(3 votos)
Lido 8591 vezes

       Falar sobre a História do Aço na Construção Civil é lembrar de célebres personagens, como Andrew Carnegie, o industrial que revolucionou o mercado de ferro e aço com a produção em massa, no final do século XIX.

       Mas antes de chegar à Revolução Industrial, voltemos à Idade do Ferro, considerada o último estágio tecnológico e cultural da pré-história. Neste período, o ferro passou a substituir o bronze na confecção de armas e utensílios.

       Os homens descobriram que era possível extrair ferro do minério, a partir dos fornos primitivos. Eles retiravam algumas impurezas do minério, pois elas tinham menor ponto de fusão do que a esponja de ferro. E essa esponja era então trabalhada na bigorna para a confecção de ferramentas.

       Naquela época, para fabricar 1kg de ferro em barras, eram necessários cerca de 2,5kg de minério pulverizado e mais 4kg de carvão vegetal.

       No princípio, as ferramentas e utensílios de ferro se assemelhavam às de cobre e bronze. Entretanto, os resultados geraram novos experimentos, que culminaram em novas técnicas, para que o ferro fosse mais duro e resistente à corrosão.

       Descobriu-se, por exemplo, que adicionar calcário à mistura de minério de ferro e carvão acarretava na melhor absorção das impurezas do minério - e também criaram novas técnicas de aquecimento e produção de materiais a partir do ferro fundido.

Fatos e curiosidades sobre a História do Aço na Construção Civil

       Foi a partir da Revolução Industrial que o aço passou a ser produzido em escala. Com a invenção dos fornos industriais, passou a ser possível não apenas corrigir as impurezas do ferro, como também adicionar propriedades que o tornariam ainda mais resistente à corrosão e impactos.

       É inegável a contribuição do Aço na Construção Civil. Desde o século XVIII, possibilita que construtores ofereçam estruturas ao mesmo tempo modernas, seguras e duradouras.

       Um dos principais ícones desta nova era na Construção Civil é a Ponte Ironbridge, construída em 1779, na Inglaterra. Esta foi uma das primeiras obras construídas com a utilização de estruturas metálicas de aço.

       Nos Estados Unidos, o aço desempenhou um papel significativo para o desenvolvimento das cidades, que se verticalizaram rapidamente com o uso em massa deste material - além das pontes, linhas de ferro e outras aplicações.

       Mas há quem diga que a verdadeira revolução do uso do Aço na Construção Civil ocorreu no final do século XIX, com o surgimento do Concreto Armado. Esse sistema construtivo alia as vantagens do concreto às do aço, garantindo alta resistência à trações.

       A partir de então, foi possível erguer edifícios cada vez mais altos, a exemplo do Ingalls em Cincinati, Ohio - o primeiro com 15 andares. Na época, a estrutura parecia ser tão improvável, que gerou histórias no mínimo curiosas - como a do jornalista que passou uma noite com câmeras apontadas para o prédio, aguardando ele desabar.

       Com o tempo, foram sendo descobertas diversas outras vantagens da utilização do Aço na Construção Civil, que são decisivas até hoje para a escolha do material em projetos de estruturas metálicas:

  • Redução no tempo de construção;
  • Liberdade para criação arquitetônica;
  • Racionalização no uso de materiais e mão de obra;
  • Aumento da produtividade;
  • Melhor aproveitamento de espaço;
  • Alívio de carga nas fundações;
  • Maior organização nos canteiros de obras.

       
Mas e você, o que acha da utilização do aço em sistemas construtivos? Enxerga outras vantagens ou desvantagens na utilização deste material? Compartilhe a sua opinião conosco para enriquecer a nossa abordagem sobre a História do Aço na Construção Civil.

Última modificação em Quinta, 09 Agosto 2018 14:07